martes, 18 de octubre de 2016

Dúo con la escritora brasileña Regiane Lima Valadares Jei · 26


AS NOITES SEM LUAR

Boiando a flor no teu perfilado
Na Beira da fonte a prevalecer
Sonho tão profundo no corpo a mexer
Mais uma canção das noites sem luar
Teu sorriso a me sugar.

No silêncio da canção beirais sem ninhos
A fogueira a lampejar nas juras infindas
Pelo brilho do luar dançando na imensidão
Tua imagem refletia na sombra que movia e subia
Em cima da flor em perfeição
A janela assistia a uma bela visão
Corpos se amando em intensa paixão.

17/10/2016 Jey Lima Valadares, Itagibá

EMBRUJA LA NOCHE

Mientras bailamos cae la misteriosa noche
Podemos pasear desnudos por la playa desierta
Solamente nos observan las estrellas
Vamos a volver a brindar con champán
La calma debate una madrugada intensa
Quizás veamos amanecer en la arena.

El universo se abre para nosotros
Vamos a correr, saltar y gritar
La luna suspira y le da vergüenza mirarnos
Somos la envidia de unas nubes rebeldes
Que se enfadan y nos salpica la lluvia
Que lindo es abrazarse empapados.

17/10/2016 Jorge Benítez Govantes, Sevilla